Rua Dr. João Barros, nº 47 Loja, 2725-488 Algueirão-Mem Martins

8 dicas a seguir para ter um condomínio mais seguro

As questões de segurança são as que mais preocupam todos os condomínios. Roubos, furtos ou invasões de privacidade podem ser evitadas com medidas de segurança eficazes e, mais importante ainda, medidas que sejam seguidas por todos os habitantes. São as ações individuais que permitem alcançar o bem comum. É verdade que os equipamentos tecnológicos e de videovigilância podem ajudar significativamente, mas a implementação destes nada adianta se os moradores não respeitarem regras básicas de segurança. Neste artigo, iremos abordar algumas medidas que todos devem seguir para tornar um condomínio mais seguro.

Condomínio mais seguro: medidas a implementar

De seguida, iremos apresentar algumas medidas que devem ser levadas a cabo por cada condomínio, mas também por cada habitante. Portanto, as medidas coletivas e individuais devem ser reunidas eficazmente, de modo a combater os perigos de segurança por vezes verificados.

1. Colocação de um sistema de videovigilância

Esta é a melhor solução para aumentar a segurança de um condomínio. Os custos dependem sempre do tamanho do edifício, mas por norma, este é um investimento ainda significativo. Contudo, é sem dúvida, a sua melhor opção. Através destes equipamentos, sempre que for necessário, basta rever as filmagens e identificar alguma ocorrência fora do comum. Em casos de assaltos, invasões ou vandalismo, estas câmaras permitem mesmo identificar os infratores.

De modo a implementar um sistema de videovigilância, deve obrigatoriamente obter a autorização de todos os condóminos. O consentimento pode ser obtido por declaração escrita individual ou em assembleia. Além disso, é importante saber que as câmaras devem estar apenas presentes em espaços comuns e não devem ser colocadas perto das portas de entrada das frações, em terraços ou varandas de uso exclusivo de cada morador.

Nota: Independentemente de o sistema estar a gravar seguidamente ou não, as imagens só podem ser conservadas até 30 dias após a captação. Depois desse prazo, devem ser destruídas nas 48 horas seguintes.

2. Esperar que o portão da garagem feche

Muitas pessoas têm o hábito de sair da garagem sem primeiro verificar se o portão ficou devidamente fechado. Como sabemos, a pressa é inimiga da perfeição, e neste caso, uma desatenção destas pode causar grandes inconvenientes. Este portão permite o acesso aos carros da garagem, e por vezes, até mesmo aos apartamentos dos residentes. Portanto, comece a adotar esta medida tão simples, de modo a evitar situações indesejadas.

3. Manter a porta de entrada trancada durante a noite

Durante a noite, os cuidados devem ser aumentados. Como tal, sugerimos trancar o maior ponto de acesso ao seu edifício, a porta de entrada, a partir de uma determinada hora. Esta terá de ser uma decisão discutida com todos os condóminos e seguida também por todos eles. São pequenas ações como esta que podem fazer a diferença.

4. Investimento numa boa iluminação

Os locais de passagem como halls de entrada e corredores devem estar devidamente iluminados. O melhor será mesmo apostar em luzes automáticas, e colocá-las de forma a que consigam atingir toda a área em questão. Por vezes, o processo de identificação de infratores é dificultado por fracas iluminações, que não permitem uma visão clara sobre todo o espaço. O mesmo se aplica à garagem.

5. Apostar em portas resistentes e de boa qualidade

Como seria de esperar, as portas são o maior ponto de acesso aos edifícios, e como tal, recomendamos apostar na qualidade e resistência das mesmas. Já que são utilizadas diariamente e de forma também muito frequente ao longo do dia, é essencial garantir que esta consegue aguentar uma utilização tão excessiva.

Para não haver problemas com as chaves e fechaduras das portas, há quem opte pelos sistemas com códigos de acesso, mas neste caso, também é necessário estar atento à manutenção dos mesmos e atualizá-los frequentemente.

6. Trancar as janelas

Esta dica é particularmente dirigida aos habitantes nos pisos inferiores. Tal como acontece com as portas, as janelas são um ponto de acesso evidente e são facilmente utilizadas por infratores quando os cuidados necessários não são implementados. Assim, deve manter as suas janelas sempre trancadas e deve apostar ainda em vidros inquebráveis.

7. Ser mais cauteloso em situações especiais

É natural que, com o tempo, certas obras ou intervenções de técnicos sejam necessárias para a boa manutenção dos edifícios. Por vezes, coisas simples como pinturas ou consertos e arranjos vão exigir a presença de caras desconhecidas no seu edifício. Como tal, deve ter uma atenção acrescida nestes casos e aumentar as suas medidas de segurança. É claro que preferimos acreditar que estas entidades se irão limitar a fazer o seu trabalho, mas mais vale prevenir do que remediar!

8. Contratar um segurança

Esta dica não será certamente aplicável a todos os condomínios, até porque normalmente esta opção está mais reservada para os edifícios mais luxuosos, mas mesmo assim vale a pena considerar.

Se verificar que existem realmente muitas situações de perigo a acontecer no seu edifício ou se, por decisão unânime, todos concordarem que esta seria uma opção vantajosa, poderá contratar um segurança encarregue de vigiar o edifício e alertar quanto a eventuais perigos.  

Como é possível verificar, existem várias formas de aumentar a segurança de um condomínio. Muitas ações podem ser levadas a cabo por cada indivíduo em prol do bem comum. Já outras devem ser discutidas em assembleia e implementadas segundo o consentimento de todos os condóminos. Esperamos ter ajudado.

Artigos Recentes

Usamos cookies para oferecer a melhor experiência on-line. Ao concordar em aceitar o uso de cookies de acordo com nossa política de cookies.